sexta-feira, 3 de maio de 2013

Vida








Sou um filho de uma vida em constante fluidez.
Ela vira e revira, num constante fluxo.
É uma corrente que vai perdendo os seus elos, em cada dia em cada segundo.

Tem uma mutabilidade tão grande, que o que penso hoje, amanhã já está esquecido.

Parece não fazer sentido, esta metamorfose de variáveis inconstantes de sentimentos e decisões.

Sei apenas o seu fim, mas também o seu princípio.

O seu desenvolvimento, ainda estou para descobrir.

In the Stars