domingo, 20 de novembro de 2016

Admirável Mundo Novo

O novo documentário de Werner Herzog Lo and Behold Reveries of the Connected World (2016), é um trabalho que analisa a criação da Internet desde a sua origem até aos dias de hoje. Focando os pontos positivos e negativos desta invenção para a humanidade.  
Porém, é também uma demonstração da qualidade cinematográfica do realizador alemão, nomeadamente no Novo Cinema Alemão, com o qual o qual não se identifica. 
Ao longo de 10 capítulos vamos conhecendo a história da Internet, as suas principais personagens e as ramificações que proporcionou para a comunicação, tecnologia, ciência, etc. 




Para quem conhece já outras obras de Werner, sabe que ele tem uma maneira muito peculiar de usar o cinema para contar histórias. Porém, esta é uma história de uma invenção tecnológica e as consequências dessa maravilha que é a Internet no mundo moderno. 
Ao longo da narrativa  são apresentadas várias razões para amar-mos ou odiar a Internet e toda a tecnologia que se difundiu nas suas diferentes ramificações. É uma viagem desde a sua origem até à incerteza do seu impacto no futuro. 
Entre outras personagens do documentário temos, por exemplo, Elon Musk. O visionário empreendedor que enriqueceu à custa do PayPal e criou/participa em empresas como a Tesla Motors e SpaceX. O homem que quer habitar Marte e sugeriu que para isso se devia lançar bombas atómicas para o planeta de forma a derreter as calotas de gelo e fazer com que a produção de oxigénio fosse possível. 






Mais uma vez Werner Herzog consegue realizar um documentário activo para o espetador. Isto é, apresenta-lhe uma série de ideias e questões que assolam o mundo moderno - nomeadamente com a invenção da Internet, a descoberta mais importante de sempre-; relatos de pessoas que lidam diretamente com o objeto documentado e, finalmente, o que de bom ou mau pode advir do seu uso.
E é isso que mais aprecio neste realizador: tem a capacidade de usar o cinema para desconstruir a realidade em segmentos inteligíveis capazes de nos fazer pensar. E o tema que é abordado neste documentário tem um interesse pessoal para mim. 
Por último, este é um filme que nos apresenta o mundo moderno com integração da Internet nas sociedades e culturas. A forma como ela mudou a humanidade e como está a ser utilizada para construir um mundo completamente novo. Um mundo que alguns vêem com perspetiva bastante positiva e outros que se deixam controlar por ela e se tornam dependentes de uma tecnologia que muito vai proporcionar às gerações futuras. 

Sem comentários:

A Mancha Humana

Philip Roth assume-se neste momento como o escritor que mais gosto de ler . Este é o meu segundo livro dele. E com o mesmo quero começar a ...