segunda-feira, 1 de fevereiro de 2010

Ipad









Não podia deixar de apresentar um post aqui sobre a tão badalada nova tecnologia que a Apple lançou na semana passada. O Ipad apresenta como principais características as seguintes: 1.27cm thin; 0,6 kg; 24,5cm IPS display; multi-touch; powered by 1GHz Apple A4 chip; available in 16GB, 32GB and 64GB models; Bluetooth 2.1 plus EDR and 802.11n WiFi; speakers, mic and 30-pin connector; and up to 10-hour battery life.  Mas nada melhor que ver o vídeo oficial da Apple de promoção ao Ipad para perceber realmente as potencialidades deste Itablet. 



Depressa se fizeram ouvir vozes contra e a favor acerca dos aspectos positivos e negativos. Afinal estamos a falar de um produto que foi lançado por uma empresa que desde há uns anos tem revolucionado o mercado das comunicações móveis nos últimos anos. Nos media, à volta do Ipad, foi criado o mesmo mito que se criou à volta do Ipod e Iphone. Consultei vários jornais para para perceber o mediatismo. Um dos que me chamou mais atenção foi na revista Time, mais concretamente no seu website sobre tecnologia: Techland . Onde as críticas assumiram um tom agressivo:







It is a big iPod Touch with nothing more than a large screen. No camera? No thanks. Customizable wallpapers? F*ck off, Apple. Really, you're just going to scale existing apps? Get the f*ck outta town. I don't care about iWorks or the Times repackaged content that I can get for free online for the next year. Yeah, I'll save my money and wait for the next gen or when the price will drop. Or so it goes.




Outra das principais críticas foi o facto de o Ipad não suportar a tecnologia flash. Acerca disto, Seteve Jobs argumentou o seguinte:




"A Adobe é preguiçosa. A Apple não corre o Flash porque tem muitos erros. Quando um Mac vai abaixo, a maioria das vezes é por causa do Flash. Ninguém vai continuar a usar Flash. O mundo está a mover-se em direcção ao HTML5". Estas foram algumas das frases polémicas atribuídas por alguns trabalhadores da Apple a Steve Jobs.
Sobre a Google, o patrão da Apple está zangado por terem tentado "matar o iPhone". "Nós não entrámos no mercado dos motores de busca" terá dito. "Eles entraram no mercado dos telefones.Não tenham dúvidas: eles querem matar o iPhone. Não os vamos deixar", acrescentando ainda que o famoso lema da Google "Don't be evil" (não sejas mau) "é uma treta".
Aparentemente, a Google continua a coleccionar inimigos em vários quadrantes e parece ser agora omaior adversário da Apple. Outra coisa que ficou clara é que o iPhone e o iPad não deverão conseguir suportar Flash nos tempos mais próximos.
[in IOnline] 

Por último, talvez seja interessante começar a perceber as funcionalidades da nova tecnologia da Apple nas tarefas de todos os dias. Claro que outros produtos semelhantes também tem essa funcionalidade, nomeadamente o Kindle da Amazon. Mas o originalidade foi conseguida por Setven Colbert:

Sem comentários:

A Mancha Humana

Philip Roth assume-se neste momento como o escritor que mais gosto de ler . Este é o meu segundo livro dele. E com o mesmo quero começar a ...