sábado, 27 de outubro de 2012

Amigos

Aqueles que conhecemos, ou ficam ou partem.
Passamos momentos com eles, que podem se anos ou dias.
Até uma vida.

Mas chega a um momento em que há os que ficam,
Outros que partem e nunca mais ouvimos falar deles.

Conhecemos outros, mas os que foram não são esquecidos.
Apenas seguiram outro caminho.

Muitas vezes o problema está em recordar como foi e como é.
Muitos dos que podem partir podiam gostar de ti como és ou eras.
Muitos dos que conheces, com o tempo, podem não gostar de como és.

Um dia de cada vez.
Mas demora tempo em criar o grupo certo onde te sentes bem integrado.
Pior, é quando estás integrado e fazes a pior asneira de sempre e passas a desintegrado.

Podes passar anos, uma vida, outra vez à procura daquele grupo, daqueles momentos.
Mas a vida passa e a idade não para.
Cada um segue o seu caminho e, muitas vezes, o que foi nunca será.

Somos como somos, mas vivemos com opções.
Essas determinam o nosso caminho.
Muitas vezes é perceber que as opções erradas são muitas o desencaminhar de um caminho que parecia perfeito.

Amigos existem poucos, colegas existem muitos.
Cabe a cada um de nós saber distinguir. 

Sem comentários:

A Mancha Humana

Philip Roth assume-se neste momento como o escritor que mais gosto de ler . Este é o meu segundo livro dele. E com o mesmo quero começar a ...