quinta-feira, 18 de outubro de 2012

eia

Desgraça alheia,
Cheia de esperança cheia.
Cubículo de areia na teia.

Rede tempestuosidade de variedades.
Cheia de vaidades, objectivos tecidos.
Parados por erros.

Esperança orelheira,
De ouvidos moucos unidos.

Uma três vezes cheia.
De esperança e desgraça tecedeira.    

Sem comentários:

A Mancha Humana

Philip Roth assume-se neste momento como o escritor que mais gosto de ler . Este é o meu segundo livro dele. E com o mesmo quero começar a ...